As contribuições de Jean Jacques Rousseau para a Humanidade


Autor suíço, nascido em Genebra no século XVIII, foi um dos mais importantes escritores do Iluminismo francês, precursor das ideias socialistas e do romantismo, contestador da propriedade privada. Foi considerado o grande teórico da educação, um marco na Pedagogia Contemporânea, seus pensamentos influenciaram a Revolução Francesa. (ARANHA,1989).


Rousseau apresenta uma nova proposta de educação, enfatizando a necessidade de educar a criança para que se torne autônoma, ou seja, tornar-se sujeito e dona de seu próprio destino, passando a pensar por conta própria. Criando então um personagem, Emílio, o pensador no contexto de sua época reformulou princípios educacionais, elaborando uma educação libertadora, na Pedagogia natural, Emílio é totalmente livre, que brinca, que cai e até se machuca, afirmando, assim, que a função da educação é ensinar a criança a viver, aprender e exercer a liberdade. (ROUSSEAU, 1999).


Para Rousseau, o princípio fundamental da boa educação é fomentar na criança o prazer de amar as ciências e seus métodos. E aos mestres cabiam incitar esses sentimentos. Rousseau pensava a educação guiada não pelo divino e nem pelo destino e sim pela razão. Ele propunha uma educação que tomasse conhecimento do homem como essência e ao mesmo tempo ética, ou seja, um homem ideal para a sociedade que deveria integrar-se.



O autor no século XVIII, já propunha que a criança primeiramente brincasse e praticasse esportes, pois através da brincadeira, aprenderia a linguagem, o canto, a aritmética e a geometria, e assim, criaria princípios para construção de sua autonomia. Se traçarmos um paralelo entre a época de Rousseau para a atualidade, poderemos realizar questionamentos e comparações, pois, na atualidade existem CMEIs e Pré-escolas para atendimentos das crianças, devido as mulheres estarem envolvidas no mercado de trabalho, e não exercerem como no passado o papel de cuidadora em tempo integral dos filhos. Essa realidade influenciou o surgimento de leis, que consideramos benefícios para a criança como a LDB 9394/96, o qual integra a Educação Infantil, como a primeira Etapa da Educação Básica.


Segundo Rousseau, o ser humano não preso a um solo único, é a educação que prepara a criança para travar contato com um mundo maior, que seu quarto, que sua cidade e até que seu país.



Além do Livro de Emílio ou da Educação, Rousseau tem outras obras importantes, tanto quanto a primeira:

A nova Heloísa – Romance que exaltava a vida familiar, a moral, criticando a sociedade da época. Este livro teve cinquenta edições, exercendo grande influência sobre no governo jacobino, neste livro ele exaltava ideias de igualdade, bondade do povo, a supremacia da maioria.

Emílio ou Da Educação – Romance com objetivos educacionais e desenvolvimentos das potencialidades da criança, tendo como princípio: a liberdade como direito e como dever, esse livro teve vinte e duas edições.

Contrato Social – Onde Rousseau expressa sua opinião sobre o governo. Segundo ele, os homens fazem entre si acordos ou pactos, através deles todos os homens seriam iguais em direitos. O Governo e o Estado, nasceram do Contrato entre os homens, submetidos as leis que só seriam aprovadas mediantes a votos.


Segundo Rousseau, o contrato social era soberano, ou seja, o povo unido ditando a vontade geral. Ele afirmava que: ”toda a lei que o povo em pessoa não tenha ratificado, não é lei, é nula...” Ele revolucionou a educação, com suas concepções de infância, influenciou e influencia pessoas com seus conceitos de Governo, de Estado, senso de liberdade, de justiça, e de democracia.


REFERÊNCIAS :

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda , História da Educação. São Paulo: Editora Moderna (1989)

ROUSSEAU, Jean Jacques, Emílio ou Da Educação 2ª Ed. São Paulo: ed. Martins Fontes (1999).


Autores:

Patrycia Scarlatelli

Rita Melo

Valdeci Lopes


Gostou do artigo? Confira nosso portfólio de cursos na área de Educação e utilize o certificado dos cursos para complementar suas atividades acadêmicas.

Postar um comentário

0 Comentários